Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

SE JÁ PAGO GESTÃO DE RESÍDUOS NA FACTURA DA ÁGUA, PORQUE DEVO SEPARAR AS EMBALAGENS?

Mäyjo, 29.03.15

Se já conhece a campanha da Sociedade Ponto Verde que pretende desmistificar alguns mitos associados à reciclagem de resíduos de embalagens, fique a saber que, de todas as situações encenadas por César Mourão e Nuno Markl – e que, na verdade, representam situações reais do dia-a-dia dos cidadãos comuns – a que será, talvez, mais inexplicável, é a que publicamos hoje.

Assim, e para todos os que questionam a separação de embalagens, argumentando que já paga a gestão de resíduos na factura da água, a resposta da Sociedade Ponto Verde é clara: existem mais de 2.400 empregos directos associados à gestão de resíduos de embalagens no âmbito do Sistema Ponto Verde, responsável por €71milhões no PIB. “Não separar os resíduos de embalagem, para além de ser prejudicial para o ambiente, geraria um decréscimo do PIB e a perda destes postos de trabalho”, explica a Sociedade Ponto Verde.

Por outro lado, a reciclagem ajuda a diminuir as emissões de dióxido de carbono no equivalente a 15.000 voltas ao mundo de avião

Constituída por quatro filmes de 1 minuto e meio, a campanha Recicla Mitos arrancou a 12 de Março de 15 e pretende desmistificar outros três mitos: os resíduos depositados em diferentes ecopontos acabam misturados no camião; as embalagens devem ser lavadas antes de separadas e o facto de não existirem ecopontos suficientes em Portugal. Tudo inverdades.

Do mesmo realizador da série televisiva Sal, Telmo Martins, os quatro filmes pretendem desmistificar a ideia de que os resíduos depositados nos ecopontos são misturados no camião que os transporta até aos centros de recolha e triagem; explicar que a reciclagem não é causadora de desemprego, mas antes geradora de postos de trabalho; tirar dúvidas sobre gestos de reciclagem; e, por último, esclarecer sobre a presença de ecopontos disponibilizados em território nacional.